Sociedade

Livro sobre falciformação é lançado hoje em Luanda

Um livro de auto-ajuda sobre a problemática da falciformação chega hoje ao mercado com o objectivo de incentivar as famílias a conhecerem melhor a enfermidade e os futuros casais a fazerem testes de compatibilidade, para evitar que tenham filhos com falciformação, uma doença hereditária.

O convite à compra do livro foi feito pelo seu autor, o jornalista Kim Freitas, que, em declarações ao Jornal de Angola, na véspera do lançamento, hoje às 17h00, na União dos Escritores Angolanos (UEA), disse ser o livro "um conto ficcionado de cariz lúdico, pedagógico e técnico", para servir de auto-ajuda.
Prefaciado pelo médico Luís Bernardino, uma autoridade no assunto, o livro, intitulado "E não mais nasceram crianças com anemia de células falciformes", tem 64 páginas e cada exemplar vai estar à venda ao preço  de dois mil kwanzas.
Kim Feitas, jornalista da Rádio Luanda, disse que escreveu o livro porque a doença genética não é conhecida de uma grande maioria de pessoas em Angola e também devido à necessidade de travar a discriminação de que são vítimas os portadores de falciformação, transmitida de pais para filhos.
No prefácio, o médico Luís Bernardino admite que, em Angola, nasçam, anualmente, cerca de 12 mil crianças com falciformação, uma “doença genética de difícil cura”. O jornalista Kim Freitas disse ter feito, em mais de quatro anos, uma pesquisa para produzir o livro sobre a falciformação e acentuou que a obra não é um “produto terminado”, admitindo, por esta razão, que venha a ser reeditada, depois de fazer outras pesquisas e receber contributos.
O médico Luís Bernardino foi a sua escolha para prefaciar e apresentar o livro devido ao vasto conhecimento e experiência adquirida na área.
O lançamento do livro vai ser aproveitado para a realização no local de uma palestra sobre anemia falciforme, para a qual foram convidados duas médicas hematologistas.
Depois do lançamento em Luanda, o livro vai ser apresentado noutras localidades do país, estando já previstas, para os próximos dias, deslocações às províncias da Huíla, Cuanza-Norte e Malanje. Estão já disponíveis mil exemplares do livro, editado pela Ndenguelândia e impresso na Damer.
Kim Freitas é jornalista cultural e do espaço dedicado à infância da Rádio Luanda, há cerca de 32 anos.
É também produtor de discos infantis e palestrante motivacional para crianças e jovens. O livro que hoje chega ao mercado é o terceiro de sua autoria.