Sociedade

“Estradas devem respeitar padrões regionais da SADC”

O director-geral adjunto para a Área Técnica do Instituto Nacional de Transportes Rodoviários defendeu ontem, em Luanda, a necessidade de se adequar as estradas nacionais aos padrões regionais, a nível dos países da SADC, quer em termos de dimensão quer em matéria de sinalização.
Énio Costa falava ao Jornal de Angola a propósito do acidente de viação ocorrido na quinta-feira, 8, na localidade da Beira Alta, no Cuanza-Norte e que vitimou 14 pessoas, segundo informações prestadas por essa entidade do Ministério dos Transportes.
Numa altura em que se tem observado o aumento do tráfego rodoviário a nível nacional, o mesmo deve ser acompanhado com a melhoria do estado das infra-estruturas das estradas nacionais, disse Énio Costa para quem as mesmas “ainda possuem uma configuração das vias do tempo colonial”.
O responsável entende que a actual configuração técnica das estradas nacionais face ao intenso volume de tráfego rodoviário.
Instado a pronunciar-se acerca do acidente que en-volveu um camião cisterna de combustíveis e um mini-autocarro da TCUL, o responsável do Instituto Nacional de Transportes Rodoviários referiu ser importante criar alguns postos de primeiros socorros ao longo das vias interprovinciais. No dia do acidente ocorrido na localidade da Beira Alta, o governador provincial do CuanzaNorte, Adriano Mendes de Carvalho, defendeu a construção, ao longo da Estrada Nacional 230, de um hospital ou área especializada em traumatologia, para acudir com urgência as eventuais vítimas de sinistralidades.
O governador defendeu essa ideia pelo facto de as estradas do Cuanza-Norte estarem no centro de ligação com as províncias do Norte, Sul e Leste e serem muito férteis em acidentes rodoviários e na maioria das vezes os sinistrados serem assistidos em unidades hospitalares muito distantes das localidades, acabando por morrer.
Além da unidade para atendimento das vítimas de acidentes, o director-geral adjunto para a Área Técnica do Instituto Nacional de Transportes Rodoviários defende a construção de zonas de paragem, onde os condutores possam fazer uma breve pausa para descansar. Énio Costa disse ainda que é necessário haver maior rigor na fiscalização e inspecção do estado técnico das viaturas, principalmente aquelas que efectuam viagens de longo curso, tendo salientado que o órgão que dirige tem orientado as empresas transportadoras a cumprirem com esse quesito de modo a garantirem aos passageiros uma viagem segura e confortável.
“Os regulamentos internos das empresas podem prever e acautelar um tempo necessário de repouso para os mo-toristas poderem durante a viagem ser substituídos por outros durante o percurso”, disse a finalizar o director-geral adjunto para a Área Técnica do Instituto Nacional dos Transportes Rodoviários.

Condolências
O Secretariado do Bureau Político do MPLA associa-se à dor e tristeza das famílias enlutadas, pelo falecimento de 14 cidadãos, vítimas do trágico acidente de viação, ocorrido a 8 de Fevereiro, na localidade da Beira Alta, província do Cuanza-Norte, e que provocou, também, o ferimento grave de 17 outros.
O MPLA considera, em comunicado, que é hora dos angolanos, particularmente aqueles que conduzem veículos motorizados e não só, porem a mão na sua consciência, para evitarem comportamentos de alto risco nas estradas do país, obedecendo estritamente às regras de trânsito e não fazendo uso de bebidas alcoólicas, para que a vida seja preservada.
O MPLA exorta as autoridades e a sociedade civil a continuarem a prestar todo o seu apoio às famílias enlutadas, ajudando-as a realizar funerais condignos dos seus entes-queridos e na recuperação dos feridos, para o seu rápido re-gresso à vida normal. Por seu turno, a TCUL manifesta dor e consternação pelo trágico acidente ocorrido no Cuanza-Norte e que envolveu um mini-autocarro da empresa.
O conselho de administração e o colectivo de trabalhadores apresentam às famílias enlutadas “profundos sentimentos de pesar”, ao mesmo tempo que manifestam “solidariedade aos feridos”.