Artigo

Reportagem

Requalificação de infra-estruturas melhora condições dos habitantes

A requalificação e pintura das infra-estruturas, construção de novas residências, abertura de estabelecimentos comerciais, a extensão da rede de distribuição de água potável e energia eléctrica, melhoria dos sectores da educação, saúde e a reabilitação das vias de acesso que ligam as comunas do município são, entre outras, acções desenvolvidas no Programa Municipal Integrado (PMI), que estão a conferir dignidade aos habitantes.

A vila do Quitexe está localizada a 40 quilómetros da sede da cidade do Uíge, tem agora uma nova imagem. Diariamente uma equipa dos serviços comunitários, recolhe o lixo e deposita-o nos contentores e aterro sanitário, com objectivo de garantir um ambiente são e um saneamento básico a altura. A administradora municipal, Maria Odete Ferreira Pinto, disse à reportagem do Jornal de Angola, que antigamente Quitexe tinha apenas uma rua mais fluida e em condições, enquanto as outras encontravam-se em estado de abandono, vários escombros e sinais de guerra, mas actualmente esta realidade está invertida rumo a um progresso acentuado.
“Quem hoje visita a vila, vai constatar que novas residências, escolas, centros e postos de saúde, sistemas de abastecimento de água potável, iluminação pública e outros serviços foram construídos. Os escombros estão transformados em estabelecimentos comerciais, lojas, lanchonetes, bares e restaurantes”, acrescentou.
A administradora municipal referiu que, durante os 15 anos de paz, o governo provincial tem vindo a trabalhar afincadamente na reabilitação e construção de escolas, residências e edifícios onde funcionam algumas dependências da administração municipal e das administrações comunais de Aldeia Viçosa, Vista Alegre e Cambambe.
“Recuperamos as infra-estruturas que foram destruídas durante o conflito armado, construímos novas e estamos a desenvolver paulatinamente trabalhos de requalificação das ruas do casco urbano da sede, para melhorarmos a imagem arquitectónica da vila, garantir melhor comodidade aos funcionários nos locais de serviço e dar resposta aos anseios da população”, disse.

Energia e água
Os habitantes do Quitexe consome água potável em pequenas quantidades. O município possui uma rede de distribuição de água por gravidade, captada a partir do rio Cassamba, a oito quilómetros da sede do município. O sistema é alimentado por dois reservatórios, sendo um aéreo, com capacidade para 75 mil metros cúbicos e outro subterrâneo com capacidade para 50 mil metros cúbicos.
Catorze chafarizes, dos quais nove em pleno funcionamento e os demais avariados, lavandarias e quatro furos artesianos estão distribuídos pelos bairros periféricos.
 A administradora municipal assegurou que, no âmbito do "Programa Água Para Todos", nos próximos dias o sistema de abastecimento vai ser alargado até aos bairros mais periféricos, visto que, por insuficiência da capacidade de fornecimento, muitos habitantes da sede municipal encontram dificuldades para obter água.
Neste momento, disse, estão em construção na sede e nas aldeias do município, furos artesianos para aliviar a distância que a população tem vindo a percorrer para acarretar água.  Por outro lado, os munícipes na sede consomem energia eléctrica, mas aos "soluços" devido as avarias que se verificam nos grupos geradores que abastecem a corrente domiciliaria e pública.
Maria Ferreira Pinto avançou que para fazer face a este défice de energia, a administração local está, em colaboração com o governo provincial, a trabalhar para a instalação de uma linha fornecedora de energia eléctrica a partir da barragem hidroeléctrica do Luquixi. “Logo que o governo responder ao nosso pedido, vamos melhorar a rede de iluminação pública e domiciliária, bem como alargar o sistema de iluminação nos bairros periféricos”, disse.
 
Saúde
O sector da saúde no município do Quitexe enfrenta algumas dificuldades. A falta de um hospital municipal de referência, tem criado embaraços aos técnicos no atendimento dos doentes que afluem ao único centro de saúde existente na sede. O centro tem a capacidade para 53 camas e está assegurado por 23 técnicos.
Diariamente, são atendidos na unidade sanitária, mais de 35 doentes provenientes das zonas circunvizinhas do município, com destaque  para  os que vêm da província do Cuanza Norte, cidade do Uíge e da comuna de Quipedro município de Ambuíla.
A unidade sanitária oferece, entre outros serviços, banco de urgência, pediatria, consultas externas, laboratório de análises clínicas, farmácia, secção de hemoterapia, vigilância epidemiológica e consultas pré-natais,

Programa de Vacinação
O director municipal de saúde de Quitexe em exercício, Augusto Cole Kazaiandi, disse que o município possui 17 unidades sanitárias, das quais quatro centros e 13 postos de saúde e estão assegurados por 62 funcionários, entre enfermeiros e pessoal administrativo.
Durante o primeiro trimestre, foram atendidos 294 casos de malária dos quais quatro pessoas morreram e 814 outros casos com diversos diagnósticos como doenças diarreicas e respiratórias agudas, febre tifóide, hipertensão arterial e acidentes rodoviários.
Estão também em funcionamento no município, os serviços de vigilância epidemiológica e saúde ambiental. O Programa de Combate à Malária, saúde reprodutiva, consultas externas, farmácias, banco de urgência, laboratório de análises clínicas, hemoterapia, promoção da saúde, serviços de aconselhamento do VIH/Sida, Programa Alargado de Vacinação (PAV), emergências médicas, combate às doenças negligenciadas, tropicais e a área de nutrição.
Augusto Cole Kazaiandi referiu que o sector de saúde no Quitexe não tem médicos e são necessários mais de 100 enfermeiros e três médicos especializados nas áreas de ortopedia, obstetrícia e medicina geral, para suprir o défice que se verifica neste domínio.

Educação
Em 2003 o município tinha apenas 11 salas de aula em condições precárias, menos de quatro mil alunos e 230 professores. Ao longo dos anos, o número foi subindo e no presente ano lectivo estão matriculados 12 mil 664 alunos nos três níveis de ensino. O processo de aprendizagem é assegurado por 555 professores, sendo 368 para o ensino primário e os restantes para I e II ciclo.
O director municipal da educação, Josué Puni, avançou que este número de professores é insuficiente. São necessários 100 professores para reforçar o quadro docente existente no município.
Em termos de infra-estruturas, é o que mais subiu de 11 salas para 134 salas de aulas que correspondem num total de 67 escolas sendo 64 para ensino primário e duas outras para o I e II ciclo. “Precisamos de novas salas, visto que algumas escolas foram destruídas pelas chuvas e outras por vandalismo, principalmente nas localidades de Cawanga, Catulo, Quihinga e Quitoque. Devido a destruição destas escolas, centenas de crianças estão a estudar ao relento”, referiu. A direcção municipal fez o levantamento e constatou que as aldeias de Catenda, Cahama na comuna da Vista Alegre, Colua, Aldeia Viçosa, Quimassabi e no Cacuaco, como sendo as que necessitam de novas salas, tendo em conta o número de crianças existentes nestas localidades.
Josué Puni lembrou que, desde o alcance da paz, o sector da educação no município conheceu avanços significativos, visto que muitos alunos já não percorrem longas distâncias para concluir o ensino médio. “Se até 2006 para fazer o ensino médio era necessário deslocar-se à cidade do Uíge, actualmente, com a abertura da escola do II ciclo, tudo está fácil, desde 2007 até à presente data, mais de 700 alunos já terminaram o ensino médio a nível do município de Quitexe”, disse.
A área de alfabetização também cresceu. no presente ano lectivo estão matriculados 638 alfabetizandos, o processo é assegurado por 28 alfabetizadores distribuídos por dois módulo: “Sim Eu Posso" e "Gostar de Ler”. Alertou os professores que se ausentam do local de trabalho sem a prévia autorização no sentido de mudarem de atitude, sob pena de serem sancionados nos termos da lei.

Registo Civil
No município de Quitexe, os cidadãos nacionais já não percorrem longas distâncias para adquirir o assento de nascimento ou mandar autenticar qualquer documento. Em tempo de paz, foi instalado na sede uma loja do registo civil que tem vindo a facilitar o atendimento de milhares de famílias.
Santos Soares, de 38 anos de idade, natural do município de Quitexe, é pai de cinco filhos e deslocou-se à loja de registo, momentos depois da equipa de reportagem do Jornal de Angola ter chegado ao local para registar o pequeno Artur José Soares de um ano e seis meses. Sorridente e disponível, expressou que os serviços de registo civil no Quitexe estão muito próximo dos cidadãos.
“A paz é uma dádiva incomparável. Antigamente era muito difícil conseguir-se o assento de nascimento, percorríamos quilómetros até à cidade do Uíge para nos registarmos, mas com o alcance da paz tudo está mais fácil. Aqui mesmo registamos os nossos filhos, tratamos o bilhete de identidade, registo criminal e mandamos autenticar no notário outros documentos necessários”, manifestou  o responsável da Loja do Registo Civil, o conservador de 2ª Classe, Alves Ernesto.

  Arte e cultura ajudam a preservar os valores éticos e morais do Quitexe

A arte plástica e artística remonta há longos séculos, parece uma actividade menos importante aos olhos de muitos, mas na verdade contribui para a preservação de valores éticos, morais e culturais de cada região.
No Quitexe, dezenas de jovens artistas plásticos não deixam perder nenhum detalhe neste domínio, cada um no seu lugar desenvolve o que sabe fazer, mostrando ao público desenhos, figuras e outras ilustrações feitas de materiais artesanais locais com muitas experiências e técnicas vindouras dos ancestrais da região. Massala Vicente, de 47 anos de idade, é artista plástico há mais de 30 anos, desenha estruturas de vivendas com material de bordão, casas de madeira em miniatura, pinturas rupestres, jangos, figuras históricas, símbolos nacionais, bem como representa a arquitectura de pequenas cidades em miniatura.
O artista disse que na sua mente vive a arte e a cultura, em tudo o que faz inspira-se nos antepassados e na realidade cultural da região em que vive. Defendeu a necessidade de valorizar esta actividade que parece não ser importante para alguns, mas muito útil para outros, sobretudo na representação da cultura africana, angolana e particularmente a da província do Uíge. “O desenvolvimento da arte e da cultura da região deve merecer uma atenção especial, é necessário que o governo provincial crie politícas que incentivem os jovens com talento  para que possam trazer ao público as ideias, demonstração das suas capacidades como artistas, uma vez que a cultura fortalece a realidade de um povo”, disse.

  Projectos de reabilitação e construção de infra-estruturas estão em andamento

A administradora municipal do Quitexe avançou que os projectos integrados no Programa de Intervenção Municipal (PIM) para o presente ano, estão direccionados para a reabilitação e construção de mais infra-estruturas, sobretudo a colocação de novo tapete asfáltico nas ruas da sede do municipal, construção de residências para funcionários, alargamento do sistema de abastecimento de água potável e a reabilitação das vias de acesso às comunas e aldeias.
Maria Odete Ferreira Pinto adiantou ainda que maior atenção vai ser dada na melhoria do fornecimento de energia eléctrica nos bairros periféricos da sede e nas comunas do município, construção de um centro profissional de artes e ofícios, polidesportiva, um campo multiuso, conclusão da casa da juventude, bem como encontrar soluções para construção de um hospital municipal.
“Elaboramos um programa integrado para o município, porque pretendemos melhorar as condições de vida da população, através da construção de mais infra-estruturas e na recuperação das estradas que ligam a sede municipal às comunas e aldeias”, concluiu a  administradora municipal do Quitexe.
Com uma extensão geográfica de três mil 872 quilómetros quadrados Quitexe está localizado a 40 quilómetros a sul da sede da cidade do Uíge, é composto por três comunas Vista Alegre, Aldeia Viçousa e Cambambe, 17 regedorias, 75 aldeias, 259 autoridades tradicionais e 32. 818 habitantes.