Reportagem

Regiões afectadas pela seca recebem 65 milhões de euros

A União Europeia disponibilizou  65 milhões de euros para a implementação do programa de Fortalecimento de Resiliência, Segurança Alimentar e Nutricional nas províncias da Huíla, Cunene e Namibe, com vista à mitigação dos efeitos da seca, combate à fome e à pobreza.

O programa, que conta com as parcerias da Cooperação Portuguesa e do Executivo Angolano, foi lançado ontem na cidade da Huíla pelo embaixador da União Europeia em Angola (UE), Tomas Ulincy, na presença de várias entidades do go-verno local e da Cooperação Portuguesa.
Tomas Ulincy explicou que uma das finalidades do programa é relançar a produção agrícola em zonas afectadas pela seca, de  forma que as famílias  camponesas voltem a produzir  quer para o seu consumo quer para a comercialização.
O responsável da UE disse que o programa oferece também oportunidade para a formação dos colaboradores, técnicos de instituições públicas e outras entidades envolvidas no processo,  bem  como académicos e estudantes universitários e investigadores  das áreas de agri-
cultura, segurança alimentar e nutricional e alterações climáticas.

Cooperação bilateral
Tomas Ulincy disse que a União Europeia coopera com Angola para promover o avanço da agenda da Segurança Alimentar e Nutricional assim como para atingir os objectivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas até 2030, concretamente  no que toca à erradicação da pobreza e da fome.
“Desejamos o sucesso deste programa para que as famílias  camponesas  afectadas pela seca voltem a atingir bons níveis de produção de modo a se tornarem intervenientes activos na economia angolana”, sublinhou.
O responsável europeu, considera que a parceria entre a  União Europeia, Cooperação Portuguesa e Executivo angolano  vai ajudar a melhorar a capacidade técnica das pessoas envolvidas neste projecto. 
“O lançamento deste programa marca o início de uma caminhada que nos vai levar a um futuro próspero nas co-munidades rurais afectadas pela seca. Acreditamos que este programa vai ser um exemplo de sucesso das actividades de cooperação entre a União Europeia e Angola”, vaticinou.
Por seu lado, o embaixador de Portugal em Angola, João da Silva, disse que o montante disponibilizado pela União Europeia  também vai servir  para apoiar projectos de organizações da sociedade civil nas áreas de agricultura familiar, redução de perdas pós-colheitas, armazenamento e reservas de alimentos e para sistemas de captação e conservação de água.
“O programa de Fortalecimento de Resiliência, Segurança Alimentar e Nutricional garante múltiplas  oportunidades, quer de forma directa, através da geração de rendimento e emprego, quer indirectamente, fortalecendo as economias regionais.
Por outro lado, valoriza a agricultura familiar  e  permite que as entidades envolvidas tenham capacidade para contratar empresas e mão-de-obra local,  pois garante financiamentos e assistência técnica”, disse o diplomata português.
Alinhamento de políticas
 Por seu turno, a vice-governadora da Huíla para o sector Político, Social e Económico, Maria Chipalavela, disse que o programa ajuda  a implementação  das estratégias do Executivo para o combate à fome e à pobreza.

  Reserva estratégica alimentar

O ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca, afirmou, na ocasião do lançamento que o Programa de Fortalecimento de Resiliência, Segurança Alimentar e Nutricional  está alinhado com a política do Executivo angolano de constituir e implementar a reserva estratégica alimentar.
Pedro Luís da Fonseca disse que a reserva estratégica alimentar visa proporcionar, dentro de parâmetros pré-estabelecidos, o  acesso da população a uma certa quantidade de produtos alimentares básicos em condições de estabilidade da oferta  e intervir de forma pontual na estabilidade de preços.
O ministro  disse ainda que a segurança alimentar e nutricional, sobretudo no interior do país, “é um dos pontos importantes do Plano de Desenvolvimento Nacional que reconhece a gravidade da ocorrência das alterações climáticas em Angola.