Política

FAA ajudam a reforçar vigilância nas fronteiras

As Forças Armadas Angolanas (FAA) pretendem melhorar os mecanismos de apoio à Polícia Nacional e elevar a vigilância fronteiriça, para reduzir o fluxo de estrangeiros que entram ilegalmente no país a pretexto de procurar melhores condições de vida, anunciou ontem, no Lubango, o Chefe do Estado-Maior General, Egídio Sousa Santos.

Discursando no encerramento da reunião de dirigentes das FAA, que decorreu durante três dias sob o lema “Imobilizar, reestruturar e fortalecer”, o general de Exército disse que os estrangeiros instalam-se em zonas diamantíferas e dedicam-se à exploração destes recursos, em muitos casos, com o auxílio de nacionais.
“Temos que continuar a desencorajar estas práticas que põem em causa os interesses do Estado angolano e a sustentabilidade dos seus recursos naturais, cuja exploração deve ser feita apenas mediante licença ou autorização das autoridades competentes, em conformidade com a lei”, disse.
Egídio Sousa Santos acrescentou que, a nível regional, a segurança e a estabilidade do país dependem, em grande medida, da situação vigente nos países vizinhos. O general referiu que, desde a última reunião de dirigentes realizada em Fevereiro de 2018 no Comando do Exército, as principais atenções daquele órgão têm estado viradas para a instrução, treino e adestramento operacionais dos efectivos das FAA, com vista a torná-las cada vez mais eficientes.
O encontro de três dias abordou, entre vários assuntos, o reequipamento militar e o reforço das unidades com pessoal e meios técnicos.
Participaram no encontro generais e almirantes de todas as unidades militares do país.