Política

Cidade do Huambo ganha três subestações de energia eléctrica

A cidade do Huambo passa a ter uma melhor distribuição de energia eléctrica, com a inauguração, ontem, de três subestações eléctricas, no âmbito das festividades do Dia do Herói Nacional.

Localizadas no perímetro florestal do Sacaála, no bairro Cambiote, e na zona industrial da Chiva, arredores da cidade do Huambo, as subestações têm, cada uma, potência para transformar e distribuir 50 mega watts, 40 dos quais já disponíveis. Erguidas em 18 meses por uma empresa chinesa, as três subestações eléctricas vão permitir efectuar 48 mil ligações (16 mil para cada uma).
Inauguradas pela governadora provincial, Joana Lina, constam da execução do projecto de electrificação e ligações domiciliares da cida-
de do Huambo e arredores, cujos contratos de efectivação foram assinados em 2016, pelo Ministério da Energia e Águas.
Para a construção das mesmas, que recebem energia eléctrica a partir das centrais térmicas do Belém e Benfica, também nos arredores da cidade do Huambo, foram empregues 180 milhões de dólares, correspondendo a 60 milhões por subestação, refere a Angop.
A inauguração das três subestações, que há quase dois meses funcionam em regime experimental, marca a entrega destes equipamentos à Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) para a consequente exploração, tendo como prioridade as zonas ainda privadas do fornecimento de energia eléctrica. Com estas três subestações, a província do Huambo passa a contar com quatro, que recebem energia de alta tensão e a transformam em média tensão, para posterior distribuição aos postos de transformação onde a energia é convertida em baixa tensão antes de chegar aos consumidores.
Quanto às fontes de produção eléctrica, estão disponíveis, na província, o Aproveitamento Hidroeléctrico do Ngove, com 20 mega-watts, as centrais térmicas do Benfica, com 30 mega-watts, e a do Belém, com 50 mega-watts.
Além da energia produzida no Ngove e em Belém, desde Abril deste ano, a província do Huambo passou a receber 70 mega-watts da corrente da Barragem Hidro-eléctrica do Laúca, na província de Malanje.