Opinião / Editorial

A pandemia, os governos e os cientistas

Os governos de todo o mundo continuam preocupados com os efeitos da pandemia da Covid-19 na economia, tendo de actuar em cenários de muita incerteza, por virtude da crise sanitária, cujo término é imprevisível.

Os Estados confrontam-se com situações em que têm de decidir se devem abrir as economias ou se devem adoptar regras mais restritivas para conter a pandemia da Covid-19 .
Há notícias de que pode ocorrer uma nova vaga de caso de infecção com o novo coronavírus em várias partes do mundo, estando governos a considerar novos confinamentos , em nome da protecção da saúde pública e , consequentemente, da vida humana.
Trata-se de medidas restritivas que têm , nalguns casos, suscitado protestos e debates à volta de um problema para o qual nenhum Estado do mundo , incluindo potências económicas mundiais, não estava preparado.
A gestão do combate ao problema da pandemia da Covid-19 não tem sido fácil para os governos de muitos países do mundo, mas , ao que tudo indica , a maioria dos Estados não abdica da tomada de medidas que possam contribuir para conter a doença.
Como tem repetidamente dito um primeiro-ministro europeu , o coronavírus que causa a Covid-19 é transportado pelas pessoas, pelo que têm de ser as pessoas a tomarem as medidas necessárias para não se contagiarem umas às outras.
É pois grande a responsabilidade individual de todos os que nas diferentes sociedades podem ser vítimas dos efeitos de uma pandemia que está a causar muitos milhares de mortes.
Cerca de seis meses depois da declaração da OMS sobre a existência da pandemia da Covid-19, os Estados estão tentando voltar à vida normal, o que não tem sido tarefa fácil, tendo em conta as características da pandemia.
0 importante é que , nesta tentativa de regresso à normalidade, haja medidas adequadas para que não se agravem os problemas. Os factos têm mostrado que é difícil combater a pandemia da Covid-19 . Os governos, que têm de tomar decisões sobre regras a adoptar neste ou naquele momento para a prevenção e combate à pandemia, devem munir-se de informações de cientistas para que as medidas que tomarem sejam correctas. É um erro subestimar a opinião de cientistas neste momento crítico que o mundo vive. A vida humana é um bem fundamental. Políticos e cientistas têm de trabalhar juntos para a proteger.