Mundo

Validados 35 mil candidatos para as primeiras eleições

As autoridades sírias validaram a candidatura de cerca de 35.000 candidatos às primeiras eleições locais na Síria desde 2011, previstas para Setembro, noticiou  um jornal do país.

“Os comités responsáveis pelos candidatos validaram 34.553 candidaturas entre as 55.164 apresentadas, que vão disputar 18.478 lugares” contra 17.000 nas últimas eleições, indicou ao diário pró-governamental Al-Watan, presidente da Alta Comissão para as Eleições, Sleiman al-Qaëd.
“Um grande número de cidades converteu-se em municipalidades, com um aumento do número de lugares [nos conselhos locais] e, por consequência, do número de candidatos”, explicou.
No entanto, não foi apresentada qualquer candidatura em diversas províncias como Deir Ezzor (leste), Al Hasakah (nordeste) e Deraa (sul).
As forças governamentais sírias controlam a metade oeste da província de Deir Ezzor e a sua capital, mas na província de Al Hasakah apenas detêm algumas posições nas localidades de Qamichli e Al-Hasakah, a capital da província com o mesmo nome.
Em Julho, as forças de Damasco e aliados conseguiram recuperar a totalidade da província de Deraa, considerada núcleo da revolta contra o regime, iniciada na Primavera de 2011. O regime controla actualmente cerca de dois terços do país, enquanto os 'jihadistas', rebeldes e milícias curdas partilham o restante território, para além da presença na região noroeste de forças militares turcas.
A agência oficial Sana disse que o Governo poderá instalar assembleias eleitorais específicas na cidade de Hama para permitir o registo a potenciais candidatos das zonas que escapam ao controlo do regime, em particular as províncias de Idleb (noroeste) e Raqa (norte).
O país organizou eleições legislativas em 2016, enquanto o último escrutínio presidencial remonta a 2014, no qual o Presidente Bashar al-Assad foi reconduzido a um novo mandato de sete anos.
Os próximos conselhos locais eleitos em 16 de Setembro terão responsabilidades acrescidas, segundo o secretário-geral do conselho provincial de Damasco, Bashar al-Haffar. “Deverão estabelecer planos de desenvolvimento, sugerir projetos de investimentos e tomar decisões concretas sobre a fase de reconstrução”, acrescentou.
Reforçado pelas suas recentes conquistas militares, o Presidente Assad, apoiado por Moscovo, declarou no mês passado que a “reconstrução” da Síria passou a constituir prioridade.