Mundo

Relatório evoca risco de genocídio na RCA

A República Centro Africana está ameaçada pela proliferação de grupos armados que lutam pelo controlo dos recursos naturais e provocam  a divisão do país, revela um relatório de um grupo de reflexão publicado quinta-feira, numa altura em que se multiplicam as violências e a ONU evoca um risco de “genocídio”.

“Estes grupos proliferam, impondo uma divisão do país  e fazendo da sabotagem económica um elemento central da sua estratégia”, refere a Enough Project que avalia 14 milícias e quatro grupos político-militares.
O “controlo dos recursos naturais” da República Centro Africana alimenta as “lutas fratricidas” entre grupos armados, acrescenta o relatório do "think tank" americano cujo objectivo é acabar com o genocídio e os crimes contra a humanidade. A antiga colónia francesa, de 4,5 milhões de habitantes, mergulhou numa guerra em 2013 após o derrube do Presidente François Bozizé pela coligação Séléka que afirmava defender os cerca de 20 por cento dos muçulmanos, levando a uma contra-ofensiva das milícias cristãs anti-Balaka.