Mundo

Papa apela à aplicação de meios inteligentes

O Papa Francisco disse ontem sentir-se “profundamente preocupado com a incapacidade de haver um acordo de paz na Síria”, após a homilia Regina Coeli celebrada na praça de S. Pedro, no Vaticano.


No final da oração, encostado à janela do palácio papal, Francisco lamentou que, “apesar dos instrumentos disponíveis à comunidade internacional, seja difícil chegar a acordo sobre uma acção comum a favor da paz na Síria e de outras regiões do mundo”.
O papa, que confessou estar profundamente preocupado com a actual situação mundial, disse que reza incessantemente pela paz e convidou todas as pessoas a fazer o mesmo. Francisco fez ainda um apelo a todos os líderes políticos para que defendam a justiça e a paz. Os EUA, a França e o Reino Unido realizaram uma série de ataques com mísseis contra alvos supostamente associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, Ghuta Oriental.
A ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas, informou o Pentágono.
No domingo passado, também após a recitação da Regina Coeli, que substitui o Angelus na Páscoa, e um dia depois do alegado ataque químico na Síria, o Papa disse que “nada podia justificar tais instrumentos de extermínio da população” e pediu que líderes políticos e militares escolhessem o outro caminho.