Mundo / Europa

Theresa May forçada a remodelar Governo

A primeira-ministra britânica, Theresa May, foi forçada a fazer uma remodelação do Governo, após a demissão do ministro e do secretário de Estado do Ministério para a saída da União Europeia, David Davis e Steve Baker e do ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson.

Dominic Raab foi promovido de secretário de Estado da Habitação a ministro responsável pelo “Brexit”, substituindo David Davis, e Jeremy Hunt passou de ministro da Saúde para chefe da diplomacia, lugar antes ocupado por Boris Johnson.
Para a tutela do Ministério da Saúde, passou Matt Hancock, que era responsável há seis meses pela pasta da Cultura, que ficou nas mãos de Jeremy Wright, enquanto Chris Heaton-Harris ocupou as funções antes exercidas por Raab. Davis e Johnson de-mitiram-se em desacordo com o plano anunciado na sexta-feira de criação de uma zona de comércio livre de bens entre o Reino Unido e a UE, pelo que o Governo britânico se compromete a manter as mesmas regras para bens e produtos agrícolas.
A proposta, cujos detalhes serão publicados hoje num Livro Branco, também foi alvo de críticas de vários deputados do partido Conservador por não garantir uma liberdade total para determinar os termos de novos acordos comerciais com outros países.
Uma potencial moção de censura interna à liderança de Theresa May acabou por não se concretizar por não terem sido reunidas as 48 assinaturas necessárias.
Theresa May participa hoje e amanhã na cimeira da OTAN, após a qual vai receber no Reino Unido o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para uma visita de trabalho de dois dias.
“O Governo britânico teve hoje uma ‘reunião produtiva’, pela primeira vez sem os ministros demissionários David Davis e Boris Johnson”, afirmou a primeira-ministra na sua conta de Twitter, juntando uma fotografia do novo Executivo.