Mundo

Erdogan anuncia a morte de 109 combatentes curdos e exige neutralidade à UE

O Presidente turco disse hoje que a União Europeia(UE) não deve criticar Ancara e anunciou que 109 membros das milícias curdas foram abatidos desde o início, quarta-feira, da intervenção militar em território sírio.

Recep Tayyip Erdogan afirmou que desde que começou a operação militar da Turquia no nordeste da Síria as tropas turcas mataram 109 “terroristas” (combatentes curdo-sírios), e feriram e fizeram prisioneiros “numerosos membros” das Unidades de Protecção do Povo (YPG), a milícia do Curdistão sírio que contou até esta semana com o apoio dos Estados Unidos na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico.

O Presidente da Turquia ameaçou ainda “abrir as portas” e enviar milhares de refugiados para a Europa se Bruxelas criticar a ofensiva militar de Ancara contra as milícias curdas na Síria. “União Europeia: recupera o juízo. Se defines a nossa operação como invasão, o nosso trabalho é fácil. Abrimos as portas e enviamos 3,6 milhões de refugiados”, ameaçou o chefe de Estado turco durante um discurso hoje em Ancara.

A agência de notícias estatal da Turquia noticiou que as forças sírias aliadas da Turquia “limparam os terroristas” de duas aldeias da Síria junto à fronteira, indicando que já não há combatentes curdos nessas povoações. A agência Anadolu refere que grupos armados sírios apoiados por Ancara tomaram Yabisa e Tel Fander, mas não adianta mais detalhes.

Por outro lado, a organização não-governamental Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede em Londres, indica que comandos turcos entraram na aldeia de Beir Asheq, perto da cidade de Tal Abyad hoje de manhã. A Turquia lançou esta ofensiva militar depois de os Estados Unidos terem anunciado, domingo, que as tropas norte-americanas na região, que prestavam apoio às milícias curdas contra o Estado Islâmico, iam retirar-se do teatro de operações.

Por outro lado, o Exército da Turquia afirma oficialmente ter destruído até ao momento 181 objectivos, principalmente depósitos de munições da milícia curda YPG, no noroeste da Síria. “As Forças Armadas turcas alcançaram 181 objetivos da YPG em ataques aéreos e disparos de artilharia no quadro da operação ‘Fonte de Paz’”, disse o Ministério da Defesa da Turquia numa mensagem difundida através da rede social Twitter.

Pelo menos 60 aviões de combate turcos participaram no início da ofensiva tendo progredido cerca de 30 quilómetros em território sírio, na tentativa de controlar uma faixa de 32 quilómetros de largura ao longo da fronteira turco-síria, entre o rio Eufrates e a fronteira com o Iraque. Durante a noite, unidades terrestres do Exército turco, apoiadas por milícias sírias, entraram na zona a partir de quatro pontos específicos. “A ‘Operação Fonte de Paz’ continua tal como foi planeada, do outro lado da fronteira”, disse hoje de manhã o vice-presidente turco Fuat Oktay através do Twitter.