Mundo

Detido suspeito de violar e matar jornalista búlgara

As autoridades búlgaras anunciaram ontem a detenção na Alemanha de um homem suspeito de ter matado e violado a jornalista búlgara Viktoria Marinova em Ruse, no norte da Bulgária.


O indivíduo foi detido na noite de terça-feira na Alemanha, para onde fugiu, segundo as autoridades búlgaras, que excluem nesta fase que o motivo do crime esteja relacionado com a profissão da vítima.
"A investigação identificou um homem que foi detido na noite passada pela Polícia na Alemanha, a nosso pedido", disse o ministro do Interior da Bulgária, Mladen Marinov, numa conferência de imprensa em Sófia.
"Nesta fase, não consideramos que o assassínio esteja relacionado com a actividade profissional da vítima", adiantou também o procurador-geral, Sotir Tsatsarov, acrescentando que o suspeito, nascido em 1997, já era procurado pelos crimes de homicídio e violação.
A jornalista búlgara Viktoria Marinova, que trabalhava numa cadeia de televisão local e que recentemente tinha denunciado alegados casos de uso fraudu-lento de fundos comunitários na Bulgária, foi morta no sábado, vítima de agressão brutal.
O corpo de Viktoria Marinova, 30 anos, responsável administrativa e apresentadora na TVN, uma cadeia televisiva local de Ruse (norte), foi descoberto num parque da cidade, anunciou no domin-go o procurador regional, Geor-gy Georgiev.
A jornalista foi agredida na cabeça e estrangulada, referiu o Ministério do Interior, precisando que também foi violada.
Na emissão do programa de rádio a 30 de Setembro, difundiu uma entrevista com dois reputados jornalistas de investigação, o búlgaro Dimitar Stoyanov, do "site" Bivol.bg, e o romeno Attila Biro, que investigavam suspeitas de fraudes nos fundos europeus e que envolveriam  responsáveis políticos.