Mundo

Boeing recebe “luz verde” para iniciar testes do polémico modelo 737 MAX

A Boeing recebeu a aprovação da Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos para iniciar testes do controverso modelo 737 Max, para demonstrar que pode voar em segurança com o novo “software” de controlo de voo.

Os voos, que terão começado ontem, de acordo com os “media” locais, representam um passo importante nos esforços da empresa para garantir que os seus aviões mais vendidos voem novamente.


O modelo deixou de voar em Março de 2019, após alguns acidentes fatais, na Indonésia e na Etiópia, que vitimaram um total de 346 pessoas. A crise custou vários mil milhões de dólares à Boeing, incluindo as compensações a pagar às vítimas e às companhias aéreas.

O caso também levou à demissão do director executivo da empresa, levantou dúvidas sobre a solvência da empresa e suspeitas em relação à supervisão relacionadas com a velocidade com que foi aprovado o MAX.

Os voos de certificação, realizados por pilotos da FAA, devem provavelmente ocorrer na área de Seattle, onde o avião tem vindo a sofrer alterações.
Um dos principais pilotos de teste da Boeing também vai integrar os voos.

“Espera-se que os testes levem vários dias e vão incluir uma ampla gama de manobras de voo e procedimentos de emergência para permitir que se avalie se as mudanças atendem aos padrões de certificação da FAA”, disse a agência num email enviado domingo à Comissão de Supervisão do Senado e da Câmara dos Representantes.

Se os voos forem bem-sucedidos, ainda poderá levar meses para que as aeronaves voltem aos céus, até porque se a FAA identificar mais problemas, a Boeing pode ainda precisar de fazer alterações adicionais.