Mundo / Ásia

"Preparamo-nos para um novo capítulo"

Após o encontro histórico que juntou Donald Trump e Kim Jong-un, o Presidente dos Estados Unidos protagonizou uma conferência de imprensa onde fez um rescaldo sobre os temas falados com o líder da Coreia do Norte.

Donald Trump considerou que o encontro  com o líder da Coreia do Norte assinala o início de um novo "capítulo na história das duas nações", uma história que se prevê que seja mais "brilhante e pacífica". O Presidente dos Estados Unidos não poupou elogios a Kim Jong-un, sublinhando que "foi um prazer encontrar-se com o líder da Coreia do Norte" e acrescentando que foram "horas intensas" de conversa entre os dois.
“O meu encontro foi ho-nesto, directo e produtivo. Conhecemo-nos bem neste pouco tempo”, afirmou, referindo que “se tratou de um dia histórico”, e enaltecendo ainda o facto de Kim Jong-un ter dado o “primeiro passo para um futuro mais brilhante” para o seu povo.
“Kim Jong-un foi muito firme no facto de querer proceder à desnuclearização total da Coreia do Norte. Acho que ele quer fazer isto tanto ou mais do que eu porque vê um futuro brilhante para a Coreia do Norte”, garantiu Trump, mostrando-se confiante na palavra do líder norte-coreano e fazendo sobressair que o passado de conflitos “não deve ditar o futuro”, nem comprometer o facto de poderem "tornar-se amigos”.
O Presidente norte-americano mostrou-se consciente de que o processo de desnuclearização será "longo e complexo", mas defendeu que a partir do momento em que existe o compromisso para fazê-lo, já é meio caminho andado para que venha a acontecer. No entanto, afirmou que as sanções vão permanecer em vigor até poder ser comprovado que a Coreia do Norte está efectivamente a destruir as suas armas.
Sobre as garantias de segurança, o líder norte-americano disse que não passarão ainda por reduzir a presença militar norte-americana na península coreana, mas assegurou: “Nalgum ponto os 32 mil soldados norte-americanos vão voltar a casa”.