Mundo / África

Serviços secretos prendem uma falsa “primeira dama”

Os serviços secretos da Nigéria anunciaram a detenção, em Abuja, de uma mulher que se fazia passar por "primeira dama" e que teria conseguido um passe para ter acesso ao complexo presidencial com o alegado objectivo de fazer negócios.

Segundo o anúncio, Amina Mohammed, fazia-se passar por uma das esposas do governador do Estado de Kogi para ter acesso ao complexo presidencial, onde com documentos falsos conseguiu arranjar um gabinete no qual recebia potenciais interessados em estabelecer negócios naquela região.

Depois de detida, Amina Mohammed reconheceu perante a imprensa ter usurpado uma situação que não é a sua, aproveitando-se do facto da esposa do presidente Muhammadu Buhari estar fora do país para se fazer passar por sua amiga e assim aceder a um dos gabinetes do complexo com os referidos documentos com a assinatura falsificada do governador de Kogi.

Esta situação, que se mantinha desde Novembro do ano passado, só foi descoberta depois de homem de negócios, Alexander Okafor, ter feito uma queixa na polícia a dizer que tinha sido burlado em mais de 100 mil dólares.

Segundo um porta-voz dos serviços secretos da Nigéria, disse que Amina Mohammed tirou vantagem do facto do complexo presidencial ser algo permissivo no que toca ao controlo de identidade em relação a primeiras damas e esposas de ministros, pelo facto de ser comum no país uma multiplicidade de esposas para uma só personalidade.

Em Setembro, os serviços secretos prenderam uma das assistentes da esposa do presidente Buhari sob a acusação de ter introduzido no complexo presidencial pessoas sem prévia autorização dos responsáveis.