Mundo / África

Ramaphosa promete reprimir corrupção

O novo líder do Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), Cyril Ramaphosa, prometeu ontem “restaurar a credibilidade” do partido e confrontar a corrupção.

“Vamos confrontar a corrupção”, afirmou o líder do ANC, afirmando que “as investigações e o julgamento dos responsáveis por manipular a máquina estatal em benefício próprio receberão a máxima prioridade”.
“Milhares de milhões de rands foram desviados ilegalmente por alguns indivíduos”, disse Ramaphosa, na abertura da conferência  comemorativa do 106º aniversário do ANC.
Ramaphosa foi eleito em Dezembro para liderar o partido, substituindo o Presidente sul-africano, Jacob Zuma, envolvido em inúmeros escândalos de corrupção que podem conduzir à sua destituição do cargo. Cyril Ramaphosa é o candidato do ANC à liderança do país nas eleições presidenciais do próximo ano. O descontentamento público sobre as denúncias de corrupção contra Jacob Zuma dividiu profundamente o ANC. Ramaphosa tem sido pressionado pela oposição e por membros do ANC para apoiar a destituição de Zuma.
Ramaphosa afirmou, todavia, que vai unificar o partido e não criar novos cenários de divisão.
O presidente da Liga dos Veteranos do ANC, Snuki Zikalala, disse, por sua vez, que a recepção nada calorosa ontem ao Presidente Zuma, nas celebrações do 106º aniversário do ANC no “Buffalo City Stadium”, foi um sinal claro de que as pessoas querem mudança.
Zikalala acrescentou que a Liga dos Veteranos acredita firmemente que o ANC sofrerá uma derrota nas eleições gerais do próximo ano se Zuma permanecer no poder. Segundo Zikalala, não só os escândalos ligados a Zuma são prejudiciais ao ANC, mas a Liga dos Veteranos também entende que os dois centros de poder (Zuma na presidência do país e Ramaphosa na liderança do partido no poder) podem contribuir para a derrota do partido nas eleições de 2019.
“A nossa visão é que não podemos ter dois centros de poder e que o ANC se deve reunir  novamente na próxima semana para  decidir sobre a retirada de Zuma”, disse Zikalala.
“Conhecemos os danos causados ao país e, se nada for feito para tirar Zuma da presidência do país e que seja o Vice-Presidente Cyril Ramaphosa a concluir o mandato, então o ANC não vencerá as eleições em 2019”, declarou.
“Como vocês viram aqui em Buffalo City Stadium, as pessoas ficaram furiosas quando o nome do Presidente Zuma foi mencionado. Elas querem mudanças”, disse Snuki Zikalala.