Mundo / África

Primeiro-ministro da Guiné-Bissau pede pacto de estabilidade após legislativas

O Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, apelou quarta-feira à noite para que haja responsabilidade cívica durante o processo eleitoral e às instituições político-partidárias para colaborarem para a estabilidade após a realização das eleições legislativas, marcadas para 10 de Março.

“Apelamos à responsabilidade cívica de todos neste processo, cabendo às instituições político-partidárias colaborarem para a estabilização governativa após as eleições”, afirmou Aristides Gomes.
O Primeiro-Ministro falava durante a apresentação de cumprimentos de Ano Novo ao Presidente guineense, José Mário Vaz. Segundo Aristides Gomes, a estabilidade governativa só “é possível” com um pacto de estabilidade entre os “principais intervenientes do país”. “Aliás, já é objecto de preparação no âmbito da comissão organizadora da conferência Caminhos para a Paz e Desenvolvimento”, salientou.
A assinatura de um pacto de estabilidade consta nos acordos de Conacri e Lomé e visa um compromisso nacional para a estabilidade política, económica e social da Guiné-Bissau. No breve discurso que fez, o Primeiro-ministro guineense salientou também que o processo de organização de eleições legislativas de 10 de Março já atingiu “velocidade de cruzeiro” e que foram recenseados mais de 95 por cento dos eleitores previstos.