Mundo / África

Presidente amnistia grupos de rebeldes

O Presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, concedeu ontem uma amnistia geral aos rebeldes, incluindo o  rival Riek Machar, noticiou o grupo local de imprensa South Sudan Broadcasting Corporation.

O decreto presidencial lido na televisão estatal indica que o Presidente Kiir concedeu a amnistia geral ao “líder do Movimento de Libertação do Povo do Sudão (SPLM-OI), Riek Machar Teny, e a outros grupos que se opõem desde 2013 ao Governo da República do Sudão do Sul”.
Este anúncio surge dias após o Governo e os grupos rebeldes terem assinado um acordo de partilha de poder em Cartum, para pôr fim a uma guerra civil de quase cinco anos e que já deixou dezenas de milhares de mortos.
Os combates começaram em Dezembro de 2013 após as acusações do Presidente Salva Kiir contra Riek Machar sobre um golpe de Estado que supostamente o opositor estava a fomentar.
Riek Machar rejeitou estas acusações, tendo seguidamente mobilizado as tropas para lutar contra o Governo depois de ser exonerado do cargo de vice-Presidente do país.
Os beligerantes do Sudão do Sul assinaram igualmente acordos de segurança como parte de um processo de paz em curso, negociado sob a égide da IGAD, uma organização de vários países da região.
Ainda esta semana a população festejou nas ruas o fim da guerra, tendo o Governo decretado dois dias de feriado nacional durante os quais foram realizados diversos comícios em todo o país para passar a mensagem do fim da guerra e lançados apelos à reconciliação nacional, sem  a qual muito dificilmente vingarão os acordos agora assinados.
Riek Machar, entretanto, pediu à comunidade internacional para acompanhar de perto a implementação do acordo de paz de forma a que “não se verifiquem desvios”.