Mundo / África

Mais de 30 mil pessoas fogem do Boko Haram

Um relatório divulgado pelas Nações Unidas revela que mais de 30 mil pessoas refugiaram-se em Maiduguri, capital do Estado de Borno, no nordeste da Nigéria, desde 20 de Dezembro, na sequência do agravamento dos combates entre o Exército e o grupo jihadista Boko Haram.“Mais de 30 mil deslocados chegaram a Maiduguri nas últimas semanas, maioritariamente provenientes de Baga”, que foi tomada pelo Boko Haram temporariamente, revelou a Organização das Nações Unidas (ONU), num relatório que fala em “tragédia humanitária”, embora os números oficiais contabilizem até agora apenas alguns milhares de deslocados.

De acordo com o mesmo relatório, cerca de 260 trabalhadores humanitários foram também obrigados a deixar os distritos de Monguno, Kala/Balge e Kukawa, zonas afectadas pelo conflito desde Novembro, colocando em perigo a assistência humanitária para centenas de mi-lhares de pessoas”.
As Nações Unidas estimam que 1,8 milhões de pessoas não consigam chegar às suas casas na região do Lago Chade, tendo o conflito já feito mais de 27 mil mortos desde 2009.
O Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, disse que desde Dezembro de 2015 que a insurgência jihadista foi “tecnicamente derrotada”, mas acabou por ser obrigado mais tarde a reconhecer que o Exército sofreu reveses na luta contra o Boko Haram.
Os insurgentes intensificaram os ataques nos últimos seis meses, incluindo contra bases militares, e mataram dezenas, senão centenas, de soldados.
Recentemente, e em resposta a algumas críticas, os militares nigerianos divulgaram vídeos em redes sociais onde se queixam das más condições em que trabalham e dos equipamentos obsoletos com que têm que enfrentar os jihadistas.