Mundo / África

7.535 refugiados regressaram à RDC

Dos 31.240 refugiados da República Democrática do Congo acolhidos pelo Governo na província da Lunda-Norte 7.535 regressaram voluntariamente ao seu país de origem.

Segundo anunciou ontem ao Jornal de Angola o director provincial na Lunda-Norte da Assistência e Reinserção Social, Wilson Palanca, ficaram na região 23.705 refugiados da RDC, estando 3.337 no centro de acolhimento do Lóvua, 5.463 em Cacanda e14.905 foram abrigadas nas comunidades locais. Os refugiados da RDC na Lunda-Norte têm afinidades etno-linguísticas com as populações locais, daí o grande número de pessoas acolhidas pela comunidade.
Wilson Palanca disse que mais de 70 por cento dos refugiados são crianças e mulheres.
“O processo de transferência para o reassentamento condigno no novo centro do Lóvua é contínuo, pois semanalmente são transferidos de Cacanda mais de 365 refugiados”, disse Wilson Palanca. A falta de uma máquina Buldozer para desmatar e abrir mais vias de acesso é a grande dificuldade apontada por Wilson Palanca. O responsável acrescentou que mais terrenos desbravados e novas vias permitiriam montar mais tendas e transferir todos os refugiados que estão em Cacanda e junto das comunidades para o centro do Lóvua.
Desde Março deste ano mais de 31.240 congoleses fugidos do conflito na região de Kasai refugiaram-se na vizinha província da Lunda-Norte, onde foram acolhidos nos campos provisórios de Cacanda e Mussungue. Desde 8 de Agosto que esses refugiados começaram a ser reassentados no centro de acolhimento do Lóvua, a cerca de 90 quilómetros do Dundo, com capacidade para acolher de forma digna 50 mil pessoas.
A ONU pediu 65,5 milhões de dólares de ajuda urgente para a gestão desta crise, mas apenas um terço dessa soma foi disponibilizado até agora.