Política

MPLA e Executivo devem ser exemplos

O secretário-geral do MPLA defendeu ontem, em Luanda, que o partido e o Executivo devem ser exemplo no combate à corrupção. “Para combater a corrupção pressupõe termos um partido e um Executivo limpos, de modo que não acentuemos ainda mais a degradação moral da sociedade”, afirmou Álvaro de Boavida Neto.

O político falava na sessão de abertura de um encontro de trabalho entre a direcção do MPLA e os segundos secretários do partido, da OMA e da JMPLA de todos os municípios e províncias.
O “número três” na hierarquia do MPLA exortou os militantes a estarem do lado do líder do partido no combate à corrupção, nepotismo, im-punidade e à bajulação. Aos dirigentes do partido, Boavida Neto pediu que exerçam o poder no estrito cumprimento das leis, de forma justa e limpa, preservando a integridade política do MPLA.
A reunião serviu para tratar de questões de organização interna do MPLA, tendo em conta os próximos desafios políticos que se avizinham, com realce para a realização das eleições autárquicas, previstas paro o próximo ano.
O secretário-geral do MPLA disse que o partido pretende vencer os seus desafios e, por isso, está a trabalhar na reorganização, redinamização e revitalização das suas estruturas. “Um segundo secretário do MPLA, de qualquer estrutura, deve dominar a vida interna do partido. Os segundos secretários devem ser camaradas que tenham a sua origem na progressão partidária e das suas organizações sociais (OMA e JMPLA)”, defendeu.
Bovida Neto criticou o comportamento de alguns militantes que, ávidos por atingir os seus objectivos pessoais, atropelam as regras partidárias para assumirem determinados cargos sem qualquer habilitação. “O mundo está cheio de pára-quedistas e bailarinos partidários de boa lábia, mas que não representam qualquer mais-valia”, denunciou o político.