Mundo / África

Laurent Gbagbo já está na Bélgica

O antigo Presidente da Costa do Marfim, Laurent Gabgbo, chegou terça-feira à noite à Bélgica onde permanecerá em liberdade provisória até à deliberação final de um recurso relacionado com a sua absolvição por parte do Tribunal Penal Internacional de Haia (TPI).

Gbagbo foi ilibado há um mês pelo TPI das acusações de crimes de guerra e contra a humanidade tendo, entretanto, a acusação interposto um recurso que pretendia tivesse efeitos suspensivos em relação à sua imediata libertação.
Contudo, o juiz da causa acabou por rejeitar esse recurso, optando por ordenar a libertação do antigo Presidente marfinense com a condição de que este aguardasse num país vizinho, que reconhecesse a jurisdição do tribunal, pela decisão final do processo.
Laurent Gbagbo estava acusado da prática de crimes de guerra e contra a humanidade, supostamente cometidos a seguir às eleições de 2010 que teriam provocado a morte de 3 mil pessoas e o deslocamento de 500 mil.
Trata-se do primeiro chefe de Estado africano a ser julgado pelo TPI, tendo a Bélgica aceite a semana passada a colhê-lo no seu território até à decisão sobre o recurso apresentado pela acusação, não sendo permitida a divulgação de informações relacionadas com o local onde reside ou a sua rotina diária de vida.
Laurent Gbagbo continua à disposição do TPI devendo responder a todas as solicitações que lhe forem feitas para esclarecer qualquer pormenor relacionado com a decisão do referido recurso.
De sublinhar que ao longo de todo o processo, que se arrastou por vários anos, Laurent Gbagbo sempre negou a autoria ou responsabilidade moral pelos crimes que lhe foram imputados, dizendo sentir-se "politicamente perseguido".