Economia

TAAG reduz as tarifas dos voos para Cabinda

A subvenção do preço dos bilhetes de passagem da classe económica nos voos da TAAG de e para Cabinda, que entrou em vigor na quinta-feira, veio facilitar a circulação de pessoas e mercadorias entre o enclave e o resto do país, disseram à reportagem do Jornal de Angola, populares que, a propósito, falaram sobre o assunto. 

Três dias depois de entrar em vigor, a medida, decidida na primeira reunião do Conselho de Ministros do Executivo do Presidente João Lourenço, realizada em Novembro de 2017, exactamente na cidade de Cabinda, fixa o preço do bilhete da classe económica em 27 mil kwanzas(ida e volta), contra os 39.320 praticados anteriormente.
Numa ronda efectuada pela equipa de reportagem do Jornal de Angola em Cabinda, os populares ouvidos aplaudiram a iniciativa do Executivo. O empresário Ricardo Lima, por exemplo, disse que a redução da tarifa da TAAG vai facilitar a deslocação das pessoas de e para Cabinda.
“Aquelas pessoas que, estando em Cabinda, por motivos económicos, tinham dificuldades em visitar outros pontos do país, podem agora fazê-lo sem grandes constrangimentos”, declarou o empresário.
Paulina da Silva, empresaria do ramo de restauração, afirma que a medida também vai trazer vantagens para o sector hoteleiro, com o aumento do fluxo de turistas.
Feliciano Tavares, funcionário bancário, concorda com a opinião de Ricardo Lima. À semelhança do empresário, afirma que a redução do preço do bilhete da Taag vai beneficiar, sobretudo, os residentes em Cabinda. “Os valores praticados anteriormente não estavam ao alcance de todos”, salientou.
A vendedora de roupa  de criança Telma Quilombo não só aplaudiu a medida, como disse acreditar que terá impacto nos preços dos produtos, já que parte substancial é transportada por via aérea.
Para o funcionário da Taag Lino Fernandes, a medida responde a uma reclamação recorrente da população. “A redução do preço facilita a locomoção das pessoas entre Cabinda e outras partes do país”, sublinhou.
O director-geral do Instituto de Preços e Concorrência do Ministério das Finanças, António Lima, lembrou que a medida é da iniciativa do Presidente da República.
António Lima lembrou que os ministérios das Finanças e dos Transportes foram orientados pelo Presidente da República a terminar o trabalho de definição da nova tarifa num prazo de oito dias, para posteriormente sair em “Diário da República” e entrar imediatamente em vigor.
Com a redução das tarifas aéreas de  e para Cabinda, João Lourenço cumpre mais uma promessa eleitoral. A quando da campanha que o conduziu à Presidência da República, o agora Chefe de Estado prometeu, num discurso pronunciado naquela cidade, “encurtar a distância” entre o enclave e o resto do país.
Na altura da reunião do Conselho de Ministros que deliberou a redução das tarifas de voo para Cabinda, o Presidente da República destacou a importância da redução do custo do bilhete de passagem, para aliviar o sofrimento dos  cidadãos com menores posses.
O Presidente da República comprometeu-se a seguir todos os projectos da província para dar impulso à sua execução e reverter, nos próximos anos, o actual quadro que “lamentavelmente não é dos melhores”.