Economia

Cartão internacional apresentado pela Emis

Empresa Interbancária de Serviços (Emis) apresentou ontem, no primeiro dia da FILDA 2018, o cartão Union Pay Internacional, emitido e carregado no estrangeiro para ajudar chineses residentes em Angola o fazerem transacções sem qualquer restrição.

Ao falar a imprensa, o presidente da comissão executiva da EMIS, José Gualberto de Matos, explicou que o cartão representa uma importação de serviços porque, ao entregar kwanzas aos portadores, o país recebe moeda estrangeira.
“Mais importante é que isso, é que flexibiliza o ambiente de negócio, torna os pagamentos mais fáceis, seguros e transparentes, porque as pessoas não vão trocar no mercado paralelo”, declarou o presidente do conselho de administração da Emis.
Os cartões da Union Pay Internacional - um instrumento de pagamento que tem das maiores adesões do mundo e é aceite em quase todos os países africanos - já começaram a ser utilizados na rede de Multicaixa, juntando-se a cartões internacionais como o Visa.
“Estamos a concretizar este passo na internacionalização da nossa rede, que tem características universais. Devemos aceitar todos os instrumentos de pagamen-to”, declarou o José Gualberto de Matos.
O director-geral da filial africana da Union Pay, Luping Zhang, considerou que o lançamento é resultado de conversações com a Emis, concluídas com sucesso graças a que “quase todos chineses em Angola têm de um a quatro cartões” da companhia.
A Union Pay prometeu liquidar as operações com os bancos angolanos em dólares, o que significa que irá trazer um grande volume de moeda estrangeira para o país, afirmou Luping Zhang.
Os cartões são emitidos em 48 países fora do território chinês e são aceites em 168 países, abarcando mais de 26 milhões de comerciantes e 1,9 milhões de caixas automáticas até à data. Em África há 50 países habilitados para aceitação dos cartões Union Pay.