Gente

O outro lado da Gente: Cilena Correia

Cilena Correia é um rosto conhecido do público amante da moda e do empresariado feminino. É a proprietária da Defendideias, empresa angolana de design que aborda a evolução da marca e a liderança no feminino “Mussulus”. Aos 54 anos de idade, a destemida Cilene Correia falou-nos da sua vida como criadora de moda, desafios e dos sonhos que alimenta como empresária.

Nome: Cilene Correia.

Data de nascimento: 19/12/1965.

Naturalidade: Luanda.

Filiação: Avelino e Isabel Correia.

Marca de calçado: Luís Onofre e Pedro Garcia.

Ocupação: Empreendedora e empresária.

Estado civil: Casada.

Filhos: 1.

Sonhos: Ter muitos netos.

Sente-se realizada? Sim.

Tem carro próprio? Não.

E casa? Não.

Como se veste de segunda à sexta-feira? Casual.

E aos fins-de-semana? Calções.

Faz uso de roupa de marca? Não. Não ligo a marcas, a única que uso é a Mussulus.

Cor preferida: Todas as cores vivas.

Qual é a marca de perfume que usa? L’eau D’Issey.

Acredita em forças ocultas? Não. Acredito apenas no poder da minha fé.

Alguma vez foi aliciada? Sim.

Como reagiu? Muito mal.

Onde passa as férias? As últimas férias foram em 2015.

Cidade preferida: Coimbra (Portugal).

Virtude: Frontalidade.

Defeito: Teimosia.

Vício: Trabalho.

Livro: “A vida é assim, gato”, de Emily Neville

Escritores: Virgílio Ferreira, Jean Paul Sartre, Pepetela, Luís Fernando, Pablo Neruda, Miguel Sousa Tavares e António Lobo Antunes

Uma boa companhia: O silêncio.

Músicos: Yuri da Cunha, Roberto Carlos, Paulo Flores, Rui Veloso e Tina Turner.

Comida: Muamba de dendém

Bebida: Água.

Sabe cozinhar: Sei, mas não gosto.

É ciumenta? Não.

Desporto: Futebol/ Dança.

Clube: Acadêmica de Coimbra.

Alguma vez mentiu? Se alguém disser que não está a mentir (risos)

Já foi enganada? Sim.

Ano que mais a marcou? 1975.

Porquê? Ano de “Viragem”.

Deputada ou ministra, qual dos dois cargos escolheria? Nenhum.

Porquê? Não tenho jeito para política.

O que acha da corrupção? O “Travão” de uma sociedade

Homossexualidade: Respeito.

Poligamia: Repúdio.