Economia

Sonangol nega laços com grupo Primagest

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) esclareceu na sexta-feira, em comunicado, que as empresas Berkeley, Primagest (sociedades gestoras S.A) e a Leadervalue (Consultoria Investimentos S.A), nunca fizeram parte de qualquer estrutura empresarial detida a qualquer título pela concessionária.

A Sonangol, que reage às recentes notícias publicadas na comunicação social angolana e portuguesa, observa subsistirem dúvidas sobre a sua  declaração feita em Abril de 2016, na qual julga de forma clara, ter declarado que a  empresa  Primagest  “não é,  nem era”,  entre 2011 a 2013, sua subsidiária.
A Sonangol dizia na ocasião que a Primagest  não  fazia  parte, nem  estava de qualquer  outra  forma consigo  relacionada. A concessionária reitera que o mesmo procedimento se aplica às  empresas  Berkeley- Gestão e Serviços S.A e  a Leadervalue- Consultoria  Investimentos S.A.
O comunicado sublinha,  que para também não subsistam dúvidas,  a Sonangol declara expressamente que não tem, nunca teve, directa ou indirectamente, qualquer relação com a aquisição do Grupo Empresarial COBA pela Berkeley -Gestão e Serviços S.A. e pela Leadervalue - Consultoria Investimentos S.A., ou, sequer, com a actividade desse grupo empresarial nos anos que se seguiram, seja no que respeita às  registadas em Angola, seja no que respeita às empresas registadas em Portugal, nomeadamente a COBA- Consultores para Obras Barragens e Planeamento S.A. e a COBA-Consultores de Engenharia e Ambiente S.A.
“Embora a Sonangol não reaja a todas e quaisquer notícias publicadas a seu respeito, nomeadamente às que não acarretam repercussões ou prejuízos significativos para si ou para terceiros, no caso em apreço, pela repercussão que pode ter e pela gravidade do que está em causa, não pode deixar de publicamente fazer este esclarecimento”, refere  da Sonangol.