Economia

Pólo Comercial previne a venda desordenada

Um pólo comercial vai ser  construído no Huambo a médio prazo, como acção prioritária para evitar o crescimento desordenado de superfícies comerciais e de prestação de serviços, anunciou quinta-feira o chefe do Departamento do Comércio naquela província.

Edivaldo da Costa revelou o projecto num encontro alargado dos sectores do Comércio, Indústria e Recursos Minerais, acrescentando que o pólo está projectado para a antiga Zona Industrial do bairro São Pedro, permitindo reorganizar a rede comercial em distribuidores grossistas, retalhistas e prestadores de serviços.
Outra vantagem, como avançou, tem a ver com o descongestionamento e regulamentação das actividades comerciais que são realizadas nos bairros, sobretudo no Calumenhe, Chiva, Benfica, Capango e São João.
Edivaldo Costa considerou que a actividade mercantil no Huambo tem vindo a registar, nos últimos tempos, indicadores positivos, tendo em conta o surgimento de grandes superfícies comerciais e outros negócios que resultam da localização do Huambo, a qual facilita a absorção e escoamento dos produtos para outros pontos do país.
A actual situação do sector foi analisada no encontro que discutiu temas como a fiscalização, acompanhamento, acção inspectiva e pedagógica, a génese e importância do INADEC na protecção dos direitos do consumidor e decorreu sob o lema “o sector do Comércio, Indústria e Recursos Minerais como motor para alavancar o desenvolvimento económico nacional”.
De acordo com números dados por  Edivaldo Costa, o Huambo conta com 4.075 estabelecimentos comerciais que empregam 13.652 trabalhadores, na sua maioria jovens que antes não tinham emprego.

*Com a Angop