Economia

Expositores em Macau

Angola participa na 22.ª edição da Feira Internacional de Macau (MFI), que decorre de 19 a 21 de Outubro, com 150 empresários de vários sectores.

Até ontem 50 empresas e 80 pessoas individualmente tinham feito a inscrição para participar no evento.
Para facilitar a participação na Feira de Macau, a Agência para a Promoção do Investimento e Exportações (APIEX) e a Confederação Empresarial de Angola (CAE) assinaram ontem, em Luanda, um protocolo de cooperação.
O presidente da CAE, Francisco Viana, disse que vão participar na Feira empresas dos sectores da indústria alimentar, petrolífera, mineral, assim como ligadas ao comércio, hotelaria e turismo e cultura, que vão ocupar um espaço de 300 metros quadrados.
Segundo Francisco Viana, Angola leva mais de 20  produtos nacionais, com destaque para o vinho, aguardente, pedras ornamentais, café e ginguba. O presidente da CAE realçou a importância da participação dos empresários angolanos na Feira de Macau, onde vai funcionar o Fundo de Cooperação para o Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa. Este Fundo, sublinhou, tem 20 mil milhões de dólares, dos quais dois mil milhões são atribuídos aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).
Francisco Viana apelou aos empresários nacionais a apresentar ao Fundo projectos viáveis e de gestão transparente, que tenham retorno de capital, para poderem obter financiamento. “É um desafio e a CAE conta com a Apiex para potenciar o empresariado angolano e ter capacidade de concorrer com outros países participantes”, salientou.
O Fundo vai apoiar negócios em infra-estruturas, como a construção de estradas com portagens, aeroportos ou outro projecto que tenha viabilidade económica e que não dependa apenas do financiamento do Estado.
O presidente da APIEX, Belarmino Van-Dúnem garantiu o apoio da Agência às empresas nacionais para encontrarem mais-valias dentro e fora do país e tenham mais força e dinheiro para diversicar a economia nacional.
Um dos objectivos da participação de Angola, segundo Belarmino Van-Dúnem, é  captar investimentos e apresentar o parque industrial da Zona Económica Especial de Viana, que possui 8 mil hectares.
A 22.ª Feira Internacional de Macau é organizada pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), co-organizada por 15 organismos de coordenação económica e comercial e associações comerciais daquela  região autónoma da China.
O evento funciona como plataforma regional de cooperação com o interior da China e tem por objectivo promover o comércio multilateral aliado à realização de fóruns, conferências, bolsas de contacto e negociações entre os compradores.