Desporto

Programas de acção das listas convergem

Reformular o modelo de realização dos campeonatos municipais e provinciais de futebol nos escalões de formação, assim como criar políticas que os tornem regulares é o ponto comum nas propostas dos dois candidatos à presidência da Associação Provincial de Futebol (APF) na Huíla, Pepé António (jornalista) e Zinga Carlos (antigo árbitro).

As eleições acontecem na segunda quinzena de Junho. O actual líder da instituição, João Gonçalves, decidiu não se recandidatar depois de dois mandatos (oito anos).

Em entrevista à Angop, Pepé António afirmou que a prioridade é desenvolver o futebol a partir dos escalões de formação, usando um modelo que não dependa muito do financiamento público.

O antigo futebolista disse que a estratégia passa por massificar o futebol, através da mobilização de apoios que ajudarão a concretizar acções de descoberta de novos valores, com incentivos à prática a partir dos infantis nos 14 municípios.

Sublinhou ainda a necessidade de reorganizar e impulsionar os campeonatos municipais, bem como promover encontros com as associações congéneres para troca de experiências do ponto de vista organizativo, administrativo e gestão.

Por sua vez, o antigo árbitro, Zinga Carlos, sublinhou que um dos desafios é criar núcleos da modalidade nos municípios, bem como buscar talentos que impulsionem a modalidade a partir das aldeias, com a distribuição de incentivos como equipamentos e material desportivo.

Assegurou, também, que vai persuadir a classe empresarial a apoiar tais núcleos, quer do ponto de vista técnico quer organizacional.

A população votante é constituída por 10 clubes federados e não federados, com destaque para o Desportivo da Huíla, Benfica Petróleos do Lubango, Sporting, Recreativo da Chibia e Ferroviário da Huíla.