Desporto

Polícias visitam proletários pressionados pela liderança

Consistente no comando isolado do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola Zap, o Interclube disputa às 15h30, no Estádio Edelfride Palhares da Costa “Miau”, na cidade de Benguela, frente ao 1º de Maio, o jogo de destaque dos quatro agendados para hoje, na sequência da 6ª jornada da prova, a primeira a meio da semana.

Únicos invictos na competição, a par do Petro de Luanda, os polícias chegam ao reduto dos proletários na condução de favoritos à conquista dos três pontos, a julgar pela qualidade futebolística que têm exibido, num claro registo de concorrente assumidamente identificado com as contas do título.
Os 13 pontos somados, em 15 possíveis, safra sustentada pelo registo de oito golos marcado e três sofridos, dão forma à candidatura lança pela a direcção do clube do bairro Rocha Pinto, encabeçada por Alves Simões, que apostou na continuidade do  técnico português Paulo Torres, agora mais familiarizado com o Girabola e os seus contornos.
A posse e a circulação da bola têm sido o principal traço da textura futebolística dos polícias, no arranque da competição. A equipa parece mais paciente na procura de caminhos para violar a baliza dos adversários. Apenas o Desportivo da Huíla conseguiu resistir ao arreganho ofensivo do Interclube, assente no bom momento de forma de Mano Calesso, um verdadeiro desassossego para as defesas, no corredor esquerdo, e no extinto goleador de Pedro, melhor marcador do campeonato, com seis tentos.
O 1º de Maio aposta na juventude do seu plantel. Agostinho Tramagal, um conhecedor profundo do futebol angolano, aborda a prova com jogadores de 17, 18, 19 e 20 anos, todos à procura do firmamento, para num futuro não muito distante serem primeiras escolhas dos colossos.
A disciplina nos processos de jogo, o rigor táctico e o espírito de entreajuda fazem do conjunto da cidade das acácias rubras uma espécie de “desmancha prazer” para os concorrentes com aspirações mais ambiciosas. O empate sem golos frente ao Petro de Luanda, em pleno Estádio Nacional 11 de Novembro, é o principal sublinhado na prestação dos proletários no que já percorreram.
O favoritismo atribuído ao Interclube pode esbarrar na organização defensiva do 1º de Maio, apoiado pelos seus fervorosos adeptos, numa província com tradição na modalidade. Embora as equipas estejam separadas por oito pontos na tabela classificativa, estão criadas as condições para um despique renhido e de desfecho imprevisível.

Brilho dos diamantes

Merecedor de destaque é igualmente o jogo que opõe às 15h30, no Estádio Municipal dos Coqueiros, o Progresso Sambizanga ao Sagrada Esperança, equipas com objectivos distintos. Os anfitriões, mais modesto nas pretensões, perseguem uma campanha tranquila, longe dos sobressaltos da zona de despromoção, enquanto os visitantes querem se intrometer na disputa travada no topo.
Os sambilas vêm de uma derrota (0-2) diante dos polícias, desaire que acabou por castigar a soberba e a postura sobranceira do técnico Hélder Teixeira, após prometer publicamente vencer no Estádio 22 de Junho, no calor do triunfo (1-0), na recepção aos militares huilanos.
Transformados nas duas últimas jornadas em máqui-na de fazer golos, oito, depois da seca vivida nas três primeiras rondas, os diamantíferos orientados por Ekrem Asma, personagem que marca a diferença na competição, pelo discurso sempre realista, mesmo com a pouca desenvoltura na comunicação em português, estão em condições de vergar os donos da casa.
Derrotado de forma copiosa (1-5), na visita à cidade do Dundo, o Cuando Cubango FC procura, diante do Recreativo da Caála, retocar a maquilhagem e afastar de si a imagem de corrente identificado com a cauda da tabela, ao passo que o JGM tenta explorar as fragilidades do Recre-ativo do Libolo, fruto do desinvestimento, e assim voltar a pontuar.
Amanhã, na única partida dia, o FC Bravos do Maquis recebe o Desportivo da Huíla. Ontem, na abertura da ronda, que tem adiado os jogos Sporting de Cabinda-1º de Agosto e Kabuscorp do Palanca-Petro de Luanda, por força dos compromissos das Afrotaças, Académica do Lobito e Domant FC não foram além do empate sem golos.