Artigo

Desporto / Outros Desportos

Campeãs africanas regressam hoje ao país

A Selecção Nacional júnior feminina de andebol regressou hoje ao país, depois de se sagrar campeã africana da categoria, pela nona vez, na 23ª edição do CAN que decorreu de 4 a 10 de Setembro em Abidjan, Costa do Marfim.

Na última jornada da competição, o “sete” nacional, orientado por Edgar Neto e José Chuma, venceu o Egipto por 29 - 19, confirmando a sua supremacia na maior reunião continental do escalão. A caminhada vitoriosa começou com a maior goleada do campeonato (50-17), diante do Mali. A coesão defensiva das angolanas proporcionou situações favoráveis de contra-ataque, desfazendo a resistência de todas as oponentes. Com os triunfos sobre Cabo Verde (37-20), Costa do Marfim (29-17), Argélia (30-19), RDC (36-25) e Egipto (29-19), as campeãs africanas totalizaram 211 golos marcados e apenas 117 consentidos, em sete partidas realizadas. 
Actuais detentoras do título continental, em cadetes, as egípcias chegaram igualmente invictas à última jornada do torneio continental de juniores, apesar de não conseguirem impor a sua superioridade sobre outras oponentes com a mesma clarividência que as comandadas de Edgar Neto. 
Após a vitória sobre o Egipto, na derradeira jornada da prova, o seleccionador nacional afirmou que o triunfo do “sete” nacional resultou da união da família do andebol. “Tivemos apoio incondicional da federação, apesar de todas as dificuldades que conhecemos. Houve ainda um grande contributo dos treinadores dos vários clubes onde evoluem as atletas, bem como do Petro de Luanda, que cedeu os seus quadros para trabalharem com a selecção. O principal apoio veio do clube 1º de Agosto que cedeu o seu ginásio, campo e centro de estágios, o que nos permitiu trabalhar com maior qualidade, por mais tempo. Penso que esta ajuda, gentilmente cedida pelo presidente Carlos Hendrick, jogou um papel fundamental, na melhoria da capacidade competitiva do grupo”, afirmou. 
Em cadetes, a selecção de Angola, derrotada em 2015 pelo Egipto, é favorita à vitória, hoje, diante da Argélia, na terceira jornada do CAN, que arrancou igualmente em Abidjan, na segunda-feira. O trio de treinadores composto por Luís Chaves, Fernando Luís e João Diogo “Docas” observou ontem o desempenho da formação do Magreb, diante da RDC, depois de já ter analisado a partida das argelinas, na derrota consentida ante a Tunísia (30-41), a contar para a primeira jornada.
Angola entrou com vitória, por 26-19, frente à RDC, num jogo onde o cansaço da viagem limitou um pouco o desempenho das jogadoras, segundo o treinador principal, Luís Chaves. Falando ao Jornal de Angola, o seleccionador destacou a baixa estatura das argelinas e a sua rapidez de execução, como aspectos mais notórios na avaliação feita, realçando o seu optimismo na obtenção da segunda vitória.
“Com a pausa de hoje (ontem), temos a equipa completamente recuperada e estamos em condições de jogar ao nosso melhor nível”, assegurou.
Numa breve avaliação às principais oponentes, Luís Chaves referiu-se à capacidade atlética das egípcias e a qualidade técnica das senegalesas, como preocupações a ter em conta, sem esquecer a equipa anfitriã, que conta com forte apoio do seu público.
À semelhança da competição reservada às juniores, o CAN de cadetes é jogado no sistema de todos contra todos a uma volta. Angola folgou ontem, por força do calendário e amanhã defronta o Senegal, voltando a entrar em cena, depois de amanhã diante da Costa do Marfim.
Antes da prova, o “sete” nacional cumpriu um curto estágio pré-competitivo, de uma semana, na região portuguesa de Leiria. Em jeito de balanço, o seleccionador disse que a preparação pré-competitiva  realizada em Portugal elevou o entrosamento do grupo e aumentou consideravelmente a motivação das jogadoras, que se apresentam em terras marfinenses dispostas a resgatar o título perdido na edição anterior.
No entanto, o seleccionador nacional considera que a tarefa não será fácil porque, “percebemos que Angola está no centro das atenções, como ficou demonstrado pelo grande interesse que todos revelaram em filmar o nosso jogo”, salientou.