Cultura

Júri em seminário define novas estratégias de avaliação

O seminário realizado na Liga Nacional Africana no passado dia 7 de Fevereiro, foi uma oportunidade de debate amplo sobre vários aspectos relacionados com os métodos da avaliação do Carnaval de Luanda.

Orientado por Manuel Se-bastião, Director do Gabinete de Acção Social, Cultura, Juventude e Desportos do Governo da Província de Luanda (GPL) e Coordenador Executivo da Comissão Provincial do Carnaval de Luanda, o seminário teve ainda a participação de Manuel Gonçalves, Director Municipal da Cultura e Turismo da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda e membro da Comissão Provincial do Carnaval de Luanda e Do-mingos Lopes, Chefe do Departamento da Cultura do Gabi-
nete de Acção Social, Cultura, Juventude e Desporto do GPL.
Na ocasião foram recomendadas as seguintes estratégias de avaliação, maior interacção entre os membros do júri para um maior equilíbrio na classificação final, leitura atenta do Regulamento Geral do Carnaval e do Manual do Júri do Carnaval, ter em conta o nível de criatividade dos grupos em contextos de insuficiência de meios e uma aproximação directa do júri aos grupos de carnaval antes do início do desfile. No entanto, julgamos que os grupos de carnaval, através dos seus representantes,podem e participar propor nomes para a constituição do jurado, optando por um critério de selecção que engajaria, de forma compósita, profissionais da velha e da nova geração.
Entendemos, igualmente, que a história dos grupos, sua constituição e tipologia dos adereços, são matérias passíveis de estar incluídas nos conteúdos do seminário. Antes da divulgação dos resultados o júri deve criar um espaço de debate para aferir se, eventualmente, há necessidade de alterar as avaliações parciais, ao nível da dança, canção, corte,  painel,  comandante, alegoria e falange de apoio, para evitar a desclassificação de grupos patrimoniais da história do Carnaval. Pensamos que deve ser repensada a descida de escalão de  grupos que granjearam prestígio ao longo da história do Carnaval e que possuem mais de meio século de existência.