Cultura

Exposição retrata Neto e o universo feminino

A vida e obra do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, e o seu impacto no universo feminino são os principais enfoques da exposição de pintura de Gelson Pedro, a ser inaugurada amanhã, às 14h30, no hall da Galeria dos Desportos, no Complexo da Cidadela, em Luanda.

A mostra, que saúda o Dia do Herói Nacional, a celebrar-se depois de amanhã, é a forma que o artista encontrou para enaltecer a figura de Agostinho Neto e também de transpor para as telas algumas preocupações dos angolanos, em especial as ligadas à valorização e preservação da herança cultural nacional.
Temas como a natureza, o emponderamento feminino, a angolanidade, a luta pela Independência Nacional, a valorização dos símbolos nacionais, as riquezas naturais e o cristianismo estão entre os assuntos abordados pelo artista nos quadros.

Outras mostras
Entre as inúmeras actividades artísticas e culturais agendadas para saudar o Dia do Herói Nacional, consta também a inauguração, depois de amanhã, da exposição “António Agostinho Neto - Memórias Fotográficas”, patente, de forma virtual, no site da Embaixada de Angola em Portugal.

Natural de Icolo e Bengo, António Agostinho Neto foi, na década de 1950, secretário-geral da delegação em Coimbra da Casa dos Estudantes do Império e membro fundador do Centro de Estudos Africanos, em conjunto com Amílcar Cabral (Guiné-Bissau), Mário Pinto de Andrade (Angola), Marcelino dos Santos (Moçambique) e Francisco José Tenreiro (An-gola). Além disso, foi também membro fundador do Clube Marítimo Africano.

Devido à participação activa nos movimentos estudantis nacionalistas foi preso diversas vezes pela Polícia Política Portuguesa (PIDE), dando origem a campanhas internacionais de solidariedade para a sua libertação. Ao longo da década de 1970, Neto liderou as actividades políticas e de guerrilha do MPLA e o processo de descolonização (1974/75) a partir de Argel (Argélia) e Brazzaville (República do Congo).

Entre os trabalhos literários de destaque publicados por Agostinho Neto constam “Quatro Poemas de Agostinho Neto” (1957), “Com os olhos Secos” (1963), “Sagrada Esperança” (1974), “Renúncia Impossível” (edição póstuma 1982) e “Poesia” (edição póstuma 1998).