Cultura

Angolanos expõem em feira internacional

O traço e o perfume das artes plásticas contemporâneas angolanas vão marcar presença na segunda edição da Feira Internacional de Arte Africana de Paris, que decorre de 10 a 12 de Novembro, em França.

Ana Silva, Januário Jano e Nelo Teixeira são os artistas confirmados para expor em representação da galeria This Is Not A White Cube (TINAWC), associação artística angolana que revelou a informação ontem numa conferência de imprensa.
A feira de arte e design realiza-se no Centro Cultural Carreau du Temple, sob o lema Also Known As Africa (África também é conhecida), alberga diversos tipos de trabalhos artísticos de mais de 30 criadores, de mais de 30 galerias, e prevê 15.000 visitantes durante os 3 dias de exposição.
A feira promove um forte intercâmbio entre galerias, artistas e coleccionadores, com o objectivo de se envolverem, transmitirem e compartilharem cada vez mais a inspiração africana.
O certame apresenta-se como um lugar que defende uma África multifacetada, que transcende as fronteiras históricas, cuja voz ruge em todo o mundo, através da visão de cada artista.
A TINAWC é uma galeria de arte angolana com foco na representação de artistas contemporâneos angolanos e estrangeiros e no desenvolvimento de projectos artísticos e culturais.
A galeria serve de plataforma de representação, experimentação, afirmação e lançamento de projectos, exposições, comissões de artistas, mostras de colecção, projectos de residências artísticas, arquivos, seminários, palestras, filmes, pesquisas, simpósios e publicações, além de representar e trabalhar com artistas, com o envolvimento de curadores e historiadores (angolanos e internacionais) com uma abordagem estruturada, criando diálogos através de pontes dentro e fora de África.
Criadora Ana Silva
Nascida em Luanda, mas a alternar a residência entre a capital luandense e Lisboa, Ana Silva frequentou o curso superior de Desenho e Pintura do ARCO, em Portugal. Participou em diversas exposições colectivas com nacionais e estrangeiros, nomeadamente no Museu de História Natural e no Museu da América em Madrid, no Palácio Ribamar em Lisboa e em diversas galerias portuguesas e angolanas, tais como na Galeria Matos Ferreira. Artista levou a sua arte na Expo em Milão em 2015.
Artista Januário Jano
Januário Jano nasceu em Luanda em 1979. Desde cedo desenvolveu a prática de criar imagens, designadamente pintando murais, recolhendo  e recortando jornais e revistas. Estudou na Grã-Bretanha onde concluiu uma pós-graduação em Artes na London Metropolitan University.
Trabalha essencialmente com pintura, instalação, vídeo e fotografia. Considerado artista visual, nascido em Luanda mas alternando a residência entre Portugal e o Reino Unido, Januário é um dos proeminentes jovens artistas plásticos angolanos. Foi distinguido no ano passado em Veneza (Itália), com o prémio Art Laguna Prize na categoria Business for Art.

Pintor Nelo Teixeira
Nelo Teixeira é um luandense que se fez artista dentro das oficinas da UNAP (União Nacional de Artistas Plásticos) onde estudou Pintura e Escultura, formando-se em Carpintaria e Cenografia. A família de Nelo herdou a arte de criar máscaras.
O seu trabalho demonstra um vasto interesse na transformação e reinvenção de resíduos, detritos e “lixo”. A ideia é para lhes dar uma nova utilidade por meio da descontextualização do objecto e no facto de poder restaurar um sentimento, uma ideia, construir uma história e chamar a atenção para uma situação.
O artista esteve no Pavilhão Angolano na Bienal de Veneza de 2015, onde expôs em Angola, Lisboa e Milão.